Fique longe e perto

 

De pouco em pouco, aquilo se tornou muito,

mas continuava sendo pouco,

o corvo rondava minha casa

nunca levava nada,

eu continuava por lá, meus remédios não faziam efeito,

as facas não tinham pontas, as cordas tinham nós fracos,

meus pensamentos eram gritantes

minha voz era um sussurro,

eu havia me encontrado, mas aquele filho da puta do pássaro preto continuava,

a bebida era a arma contra o pássaro,

mas todas as manhãs ele retornava,

voe.

voe perto,

assim posso terminar o copo e

te ver ir embora.

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s